Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/04/24 às 15h44 - Atualizado em 2/04/24 às 10h01

ALFACRUX: 2 anos do lançamento do nanossatélite 100% desenvolvido com investimento da FAPDF

COMPARTILHAR

Texto: Daniela Uejo/ASCOM-FAPDF

 

Nesta segunda-feira (1º) o projeto AlfaCrux, um nanossatélite elaborado por pesquisadores e alunos da Universidade de Brasília (UnB), com 100% de fomento da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF),  completa 2 anos de lançamento em órbita da Terra. Ao todo, foram 2,2 milhões de reais investidos com objetivo de aperfeiçoar o sistema de telecomunicação e fortalecer a ciência no DF.

 

No dia 1º de abril de 2022, às 13h24 no horário de Brasília, o nanossatélite foi colocado em órbita terrestre pelo veículo lançador Falcon 9, da empresa SpaceX, em Cabo Canaveral (EUA), em sua quarta missão destinada a levar pequenos satélites ao espaço, denominada Transporter-4.

 

“A missão AlfaCrux pretende aperfeiçoar o sistema de coleta de dados, comunicação tática da defesa nacional, além de auxiliar tomadas de decisão nos contextos da agricultura e do planejamento social, ofertando uma experiência prática e fundamental para alunos e professores no desenvolvimento da operação espacial”, afirma o presidente da FAPDF, Marco Antônio Costa Júnior. 

 

A estação de comando e controle, que está em solo, coopera para demais missões nacionais e internacionais, garantindo o desenvolvimento científico contínuo. O projeto espacial é composto por 30 integrantes, entre professores, analistas de tecnologia da informação da UnB, engenheiros e estudantes dos diferentes cursos de Engenharia da Universidade.

 

Foto: Coordenador do Alfa Crux trabalhando no circuito de simulador de campo magnético terrestre no laboratório da UnB.

 

Ao falar da importância do projeto, Renato Borges destacou que o Alfa Crux contribui com o fortalecimento e trajetória do Brasil no seguimento de satélites de pequeno porte, além de intensificar a atuação do País no setor espacial. “Esses projetos quebram grandes paradigmas, conseguem executar missões que antes eram desempenhadas por satélites de grande porte e ainda contribuem com a capacitação de profissionais, que no futuro serão os cientistas e pesquisadores responsáveis pela área espacial”, destacou.

 

 

No formato geométrico de um cubo, o nanossatélite tem massa total em torno de 1,3kg. Na nomenclatura padrão, ele é classificado como um CubeSat 1U, ou seja, uma unidade. A vida útil aproximada do equipamento é de três anos. A coordenação da Missão AlfaCrux já desenha um novo projeto que possa contar com uma constelação de satélites.

 

 

O Projeto AlfaCrux é uma parceria da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF), da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), da Universidade de Brasília (UnB) e da Agência da Agência Espacial Brasileira (AEB), que este ano completou 30 anos. E o presidente da FAPDF esteve no Palácio do Itamaraty representando a Fundação na cerimônia de comemoração da Agência Espacial.

 

Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

FAPDF

Granja do Torto Lote 04, Parque Tecnológico Biotic Cep: 70.636-000