Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/04/21 às 17h56 - Atualizado em 14/04/21 às 17h56

Autonomia, mobilidade e segurança

A autonomia e a independência são fatores essenciais à qualidade de vida de todas as pessoas. Esses fatores são ainda mais importantes para idosos e pessoas com enfermidades, que geralmente enfrentam a redução de sua capacidade de realizar atividades cotidianas sem ajuda. O ideal é que todos, especialmente idosos e enfermos, possam usufruir de um ambiente domiciliar que proporcione autonomia com segurança, atingindo acessibilidade a todos os cômodos da residência.  

 

Este é o público-alvo do estudo realizado pelo pesquisador da Universidade de Brasília (UnB) Emerson Fachin Martins. Com fomento da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF), ele desenvolveu o projeto intitulado “Em busca de dispositivos para locomoção de usuários permanentes ou temporários de tecnologias que são assistidos pelo programa de atenção domiciliar”. 

 

O objetivo do projeto o foi analisar limites e possibilidades para propor soluções tecnológicas de dispositivos de transferência e locomoção assistida já em uso ou dispositivos inovadores para populações que enfrentam dificuldades na locomoção e transferência durante a assistência domiciliar da Regional de Saúde da Zona Oeste da Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal (SESDF).

 

Metodologia

 

A pesquisa incluiu um estudo preliminar por chamada pública aos usuários de muleta canadense. Também foram sistematizadas e organizadas evidências de uso de dispositivos para locomoção assistida, classificando as populações de usuários e os relatos de vantagens e inconvenientes da utilização.

 

Os pesquisadores também buscaram apreender, com base na percepção dos usuários e especialistas em reabilitação que prescrevem dispositivos para locomoção assistida, quais seriam as implementações que favoreceriam o uso permanente ou temporário dos dispositivos.

 

Na etapa exploratória, o estudo incluiu:

  • Revisão de literatura e documentos para conhecer dispositivos mais usados;
  • Visitas domiciliares e caracterização das populações;
  • Grupos focais versus entrevistas até saturação do discurso para levantar necessidades e problemas enfrentados (adequação frente ao que já foi levantado);
  • Modelagem e prototipagem de dispositivos aperfeiçoados ou propor inovações tecnológicas.

 

Resultados

 

O coordenador da pesquisa indicou, no relatório final, que a análise indicou a necessidade de melhorias e inovação em diversos equipamentos. “Entre as demandas de aperfeiçoamento e inovação tecnológica para dispositivos de locomoção, transferência e deslocamento na internação domiciliar, identificamos, pela análise centrada no usuário, como primordial a necessidade de dispositivos relacionados ao cuidado com o banho. Adicionalmente, identificamos necessidades como o aperfeiçoamento das muletas canadenses no que se refere ao amortecimento das forças geradas durante o seu uso, além da necessidade de  implantação de mecanismos para ajustes em cadeiras de rodas para combater desgastes inerentes ao uso. No discurso dos visitados também esteve presente, ainda que em menor frequência, a necessidade de se inovar em camas hospitalares com dispositivos de ajuste de altura para transferências e mobilidade no leito”, declarou Emerson Martins.

 

Com base nos achados relacionados, a equipe do estudo propôs novas funcionalidades, a fim de resolver os problemas encontrados. Os conceitos foram discutidos, as soluções foram escolhidas e o modelo final desenvolvido. O destaque do protótipo fica com a possibilidade de dobrar e remover o apoio de pé.

 

Imagem: arquivo do projeto

 

O orçamento do novo modelo de cadeira para banho foi realizado com base no preço médio de fornecedores de sites da internet e de fornecedores de Brasília-DF. No entanto, para execução do projeto prático, validações ainda precisam ser feitas juntou aos usuários para que o manual de fabricação e montagem possa ser executado e a manufatura do produto iniciada.

 

O projeto também possibilitou a realização de trabalho na comunidade de pessoas assistidas pela Internação Domiciliar em conjunto com o Centro de Treinamento e Educação Física Especial (Cetefe), no contexto do Projeto de Extensão de Ação Contínua denominado “Viver sem limites em corpos que interagem com tecnologias – Vivetec”, onde é desenvolvida atividade de ensino, pesquisa e extensão para comunidade.

 

Estudantes de graduação e pós-graduação envolvidos nos serviços prestados no âmbito do projeto | Foto: arquivo do projeto

 

O trabalho resultou, ainda, na publicação de artigos e capítulos de livros, além de divulgação de tecnologias assistivas na 15ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

 

A pesquisa foi fomentada pela FAPDF  “Chamada FAPDF/MS-DECIT/CNPQ/SESDF 01/2016 – Programa de Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde”, cujo objetivo foi apoiar a execução de projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação que promovam a formação e a melhoria da qualidade da atenção à saúde no Distrito Federal, no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Confira a apresentação final de resultados da pesquisa aqui

Fundação de Apoio a Pesquisa do Distrito Federal - Governo do Distrito Federal

FAPDF

Granja do Torto Lote 04, Parque Tecnológico Biotic Cep: 70.636-000